segunda-feira, 24 de março de 2008

Poema à miragem




Este dia é apenas uma miragem
restos de sombras, sombra.
.
Dos seus beirais caiem fugidias ruas
em estilhaços sobre o lancil da luz,
pedaços de memórias, ruínas
de palavras nunca ditas.
.
Tudo é silêncio e névoa
nas grandes viagens transcendentais
ao coração matinal dos pássaros, à núbi
ciência abstracta dos insectos
.
Imagem que se desfaz em imagens
de pólen, circunscrito a um lugar
cada vez mais longínquo
.
que se ateia e logo morre
em nossas mãos.
inédito
13/09/2007
Foto:zdjecie








1 comentário:

Vieira Calado disse...

Gostei bastante, amiga.
O desenho também está muito bem. Obrigado.