domingo, 7 de julho de 2013

Resisto

Resisto 
Quase moribunda 
A exalar um ultimo suspiro 
A contorcer o destino 
Violento 
Fleumático 

Resisto 
Exaurida 
Escondo-me em palavras 
Que não digo 
Que calo 
E me sufoca a laringe 

Resisto 
Aqui onde o sonho não existe 
Onde o vento me acaricia o rosto 
E onde eu ainda abraço a esperança 
Dormente 
.
BeatriceMar 2013-07-07