quinta-feira, 20 de março de 2008

Os Figos



Colheram-se ontem
os figos doces dos seios
da mulher que se perdia
nas esquinas
das ruas abandonadas ao amor.

Provei-os.

Encontrei-a hoje pela manhã
desfazendo-se em beijos
no asfalto frio
ainda com a face
plena
de rubor.

José António Gonçalves
(in "Esquivas São as Aves", Col. Cadernos Ilha, nº. 11,
Ed. Correio da Madeira, 2001)
Foto:Rui Bonito

1 comentário:

Vieira Calado disse...

Gostei do poema.
Soa bem.
Está bem escrito.
Cumprimentos