quinta-feira, 31 de maio de 2018

Cais


Nunca parti deste cais
e tenho o mundo na mão!
para mim nunca é demais
reponder sim
cinquenta vezes a cada não.

Por cada barco que me negou
cinquenta partem por mim
e o mar plano e o céu azul sempre que vou!

Mundo pequeno para quem ficou...


Autor  : Manuel Lopes
Poema de quem ficou, 1949.

quarta-feira, 30 de maio de 2018

Retrato

Sofi Sprangers

Eu não tinha este rosto de hoje,
Assim calmo, assim triste, assim magro,
Nem estes olhos tão vazios,
Nem o lábio amargo.
Eu não tinha estas mãos sem força,
Tão paradas e frias e mortas;
Eu não tinha este coração
Que nem se mostra.
Eu não dei por esta mudança,
Tão simples, tão certa, tão fácil:
— Em que espelho ficou perdida
a minha face?

Autor : Cecília Meireles

terça-feira, 29 de maio de 2018

Destino

Sabine Liebchein
à ternura pouca
me vou acostumando
enquanto me adio
servente de danos e enganos

vou perdendo morada
na súbita lentidão
de um destino
que me vai sendo escasso

conheço a minha morte
seu lugar esquivo
seu acontecer disperso

agora
que mais
me poderei vencer?

Autor : Mia Couto
in "Raiz de Orvalho e Outros Poemas"

domingo, 27 de maio de 2018

as mãos

Cristina Coral

as mãos ocupadas
ficam menos pesadas,

guardam simbolicamente 
tudo aquilo que meu pensamento 
nega
renega,

e no entanto
guarda tão ciosamente como os segredos mais bem quardados.

Autor: BeatriceM

sábado, 26 de maio de 2018

Pouco tempo para alinhavar

Sean Mundy


Pouco tenho para alinhavar.
Dizer-te que estou longe
não apaga esta ausência que,
inelutavelmente,
nos distanciou.

Cercam-nos muros de silêncio
opresso.
A própria hera não ousa
na despudorada nudez branca
de paredes que interditam

a fantasia ao forasteiro
voraz.
O gesto tolhido,
o pretexto adiado
e a memória a estiolar.

Autor : Eduardo Pitta

sexta-feira, 25 de maio de 2018

...

ashraful arefin
a
gaveta da alegria
já está cheia
de ficar vazia

Autor -Alice Ruiz.

quinta-feira, 24 de maio de 2018

Razão de Ser

ashraful arefin

Escrevo. E pronto.
Escrevo porque preciso,
preciso porque estou tonto.
Ninguém tem nada com isso.
Escrevo porque amanhece,
E as estrelas lá no céu
Lembram letras no papel,
Quando o poema me anoitece.
A aranha tece teias.
O peixe beija e morde o que vê.
Eu escrevo apenas.
Tem que ter por quê?

Autor  : Paulo Leminski

quarta-feira, 23 de maio de 2018

Desde sempre em mim

Shelby Robinson

Contente. Contente do instante
Da ressurreição, das insônias heroicas 

Contente da assombrada canção
Que no meu peito agora se entrelaça.
Sabes? O fogo iluminou a casa.
E sobre a claridade do capim
Um expandir-se de asa, um trinado
Uma garganta aguda, vitoriosa.
Desde sempre em mim. Desde
Sempre estiveste. Nas arcadas do Tempo
Nas ermas biografias, neste adro solar
No meu mudo momento
Desde sempre, amor, redescoberto em mim.

Autor  : Hilda Hilst

terça-feira, 22 de maio de 2018

Emergência


Sean Mundy

Quem faz um poema abre uma janela.
Respira, tu que estás numa cela
abafada,
esse ar que entra por ela.
Por isso é que os poemas têm ritmo —
para que possas profundamente respirar.
Quem faz um poema salva um afogado.

Autor : Mario Quintana

domingo, 20 de maio de 2018

meu amor

 Anna O. Photography

meu amor.    não te devia chamar assim.    talvez nos caminhos do sul as papoilas te façam lembrar de mim.  talvez.   porque não sei os caminhos que te levaram para longe, porque nem eu podia fazer parte desses caminhos.    a vida é fácil para quem ama e foi isso que eu nunca entendi.    aliás nem quis entender.   meu amor.    se nos caminhos do sul souberes um dia as cores das manhãs que existem – ainda – nos meus sonhos, então é que também ainda subsiste resquícios de mim em ti.     e só isso interessa.
Autor : BeatriceM 2012-05-20

sábado, 19 de maio de 2018

Meados de Maio

laura lee zanghetti

Chuvoso maio!

Deste lado oiço gotejar
sobre as pedras.
Som da cidade ...
Do outro via a chuva no ar.
Perpendicular, fina,
Tomava cor,
distinguia-se
contra o fundo das trepadeiras
do jardim.
No chão, quando caía,
abria círculos
nas pocinhas brilhantes,
já formadas?
Há lá coisa mais linda


que este bater de água
na outra água?
Um pingo cai
E forma uma rosa...
um movimento circular,
que se espraia.
Vem outro pingo
E nasce outra rosa...
e sempre assim!

Os nossos olhos desconsolados,
sem alegria nem tristeza,
tranquilamente
vão vendo formar-se as rosas,
brilhar
e mover-se a água...

Autor : Irene Lisboa

in 'Antologia Poética'

sexta-feira, 18 de maio de 2018

O teu riso

nishe photography

Tira-me o pão, se quiseres,
tira-me o ar, mas não
me tires o teu riso.

Não me tires a rosa,
a lança que desfolhas,
a água que de súbito
brota da tua alegria,
a repentina onda
de prata que em ti nasce.

A minha luta é dura e regresso
com os olhos cansados
às vezes por ver
que a terra não muda,
mas ao entrar teu riso
sobe ao céu a procurar-me
e abre-me todas
as portas da vida.

Meu amor, nos momentos
mais escuros solta
o teu riso e se de súbito
vires que o meu sangue mancha
as pedras da rua,
ri, porque o teu riso
será para as minhas mãos
como uma espada fresca.

À beira do mar, no outono,
teu riso deve erguer
sua cascata de espuma,
e na primavera, amor,
quero teu riso como
a flor que esperava,
a flor azul, a rosa
da minha pátria sonora.

Ri-te da noite,
do dia, da lua,
ri-te das ruas
tortas da ilha,
ri-te deste grosseiro
rapaz que te ama,
mas quando abro
os olhos e os fecho,
quando meus passos vão,
quando voltam meus passos,
nega-me o pão, o ar,
a luz, a primavera,
mas nunca o teu riso,
porque então morreria."

Autor : Pablo Neruda

domingo, 13 de maio de 2018

Há palavras

Cristina Coral

Talvez um dia eu ouça as palavras que eu imaginei e nunca me disseste, não é um exercício da minha mente nem tão pouco um desejo que mantenho.   Talvez seja apenas um segredo que guardei no silêncio, da partilha dos corpos e que nunca falamos.    Há palavras que não são ditas em voz altas.    Há palavras que se desenham no olhar.
.
Autor:BeatriceM 2012-04-15

sábado, 12 de maio de 2018

A uma senhora que me pediu versos

.
lukrecja czerwonajcio

Pensa em ti mesma, acharás
 Melhor poesia,
 Viveza, graça, alegria,
 Doçura e paz.
 Se já dei flores um dia,
 Quando rapaz,
 As que ora dou têm assaz
 Melancolia.
 Uma só das horas tuas
 Valem um mês
 Das almas já ressequidas.
 Os sóis e as luas
 Creio bem que Deus os fez
 Para outras vidas.

Autor : Machado de Assis

sexta-feira, 11 de maio de 2018

Pequenas Palavras


Ashraful Arefin

De todas as palavras escolhi água,
porque lágrima, chuva, porque mar
porque saliva, bátega, nascente
porque rio, porque sede, porque fonte.
De todas as palavras escolhi dar.

De todas as palavras escolhi flor
porque terra, papoila, cor, semente
porque rosa, recado, porque pele
porque pétala, pólen, porque vento.
De todas as palavras escolhi mel.

De todas as palavras escolhi voz
porque cantiga, riso, porque amor
porque partilha, boca, porque nós
porque segredo, água, mel e flor.

E porque poesia e porque adeus
de todas as palavras escolhi dor.

Autor : Rosa Lobato de Faria

quinta-feira, 10 de maio de 2018

O que quer dizer

Erik Johansson

O que quer dizer diz.
Não fica fazendo
o que, um dia, eu sempre fiz.
Não fica só querendo, querendo,
coisa que eu nunca quis.
O que quer dizer, diz.
Só se dizendo num outro
o que, um dia, se disse,
um dia, vai ser feliz.

Autor : Paulo Leminski.

quarta-feira, 9 de maio de 2018

Fim

Jonna Jinton


Fim - o que resta é sempre o princípio feliz de alguma coisa.

Autor : Agustina Bessa-Luís

terça-feira, 8 de maio de 2018

Quadrilha

Sean Mundy

João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili,
que não amava ninguém.
João foi para os Estados Unidos, Teresa para o convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes
que não tinha entrado na história.

Autor : Carlos Drummond de Andrade

domingo, 6 de maio de 2018

e...

 laura makabresku
.
sonhei teu corpo, depois de conhecer teu rosto.  chamei, teu nome, antes  mesmo de mo dizeres.   por vezes olhava-te e pensava que tu não eras real, que eras uma imaginação da minha mente perturbada.  eu seria apenas uma mariposa em redor duma luz, que os teus olhos lampejavam. pensei.  sonhei.  sem saber discernir o sonho e o pensamento.   a realidade.    a utopia.   sonhei.    ainda sonho com o teu beijo e o fim das alvoradas.
.
Autor :BeatriceM  2012-05-06

sábado, 5 de maio de 2018

Quem somos

paolo barzman

Quem somos, senão o que imperfeitamente
sabemos de um passado de vultos
mal recortados na neblina opaca,
imprecisos rostos mentidos nas páginas
antigas de tomos cujas palavras

não são, de certo, as proferidas,
ou reproduzem sequer actos e gestos
cometidos. Ergue-se a lâmina:
metal e terra conhecem o sangue
em fronteiras e destinos pouco

a pouco corrigidos na memória
indecifrável das areias.
A lápide, que nomeia, não descreve
e a história que o historia,
eco vário e distorcido, é já

diversa e a si própria se entretece
na mortalha de conjecturados perfis.
Amanhã seremos outros. Por ora
nada somos senão o imperfeito
limbo da legenda que seremos.

Autor : Rui Knopfli
in "O Corpo de Atena"

sexta-feira, 4 de maio de 2018

"Poetizando..." Outros tempos, e formas, de falar ao coração


Jenna Martin
Outros tempos, outras vidas, outros pensamentos
Outras liberdades...
Outros gostos, e outros sentimentos
Outras vontades...
Outros desejos, em tantas privacidades
Outro respeito...
Outros tempos onde não haviam vaidades
.
Outras proibições suscitando as saudades
Outros desejos...
Outras formas de amar, e namorar
Mão na mão...
Outros tempos de namoros acompanhados
Pelos irmãos...
Outros tempos, sem ter tempo, para passear
.
Outros tempos, dos namoros ao portão
Olhares cativantes...
Outros sentimentos, outras formas de amar
Outros beijos...
Que quando dados, fugidios, eram o fulgor
O palpitar...
Outros tempos, e formas, de falar ao coração
.
Autora: Larissa Santos
https://brincandocomaspalavrass.blogspot.pt/

quinta-feira, 3 de maio de 2018

Amigos


Jonna Jinton
Ah Bea, ter um amigo
É oportuno e faz bem
A quem um amigo tem
E a quem o tenha consigo.

A amizade é um artigo
De luxo apenas a quem
É egoísta e o convém
Viver sem rumo em perigo.

Amigo é a forma de amor
Mais pura sem haver pudor
Em querer bem a alguém

Que corresponda em valor
À amizade que o for
Dada par si também.

Autor: Laerte Sílvio Tavares.
http://silolirico.blogspot.pt/

quarta-feira, 2 de maio de 2018

Lua Adversa

Katharina Jung

Tenho fases, como a lua
Fases de andar escondida,
fases de vir para a rua…
Perdição da minha vida!
Perdição da vida minha!
Tenho fases de ser tua,
tenho outras de ser sozinha.

Fases que vão e que vêm,
no secreto calendário
que um astrólogo arbitrário
inventou para meu uso.

E roda a melancolia
seu interminável fuso!
Não me encontro com ninguém
(tenho fases, como a lua…)
No dia de alguém ser meu
não é dia de eu ser sua…
E, quando chega esse dia,
o outro desapareceu…

Autor : Cecilia Meireles

terça-feira, 1 de maio de 2018

Amigo


Mal nos conhecemos
Inaugurámos a palavra «amigo».

«Amigo» é um sorriso
De boca em boca,
Um olhar bem limpo,
Uma casa, mesmo modesta, que se oferece,
Um coração pronto a pulsar
Na nossa mão!

«Amigo» (recordam-se, vocês aí,
Escrupulosos detritos?)
«Amigo» é o contrário de inimigo!

«Amigo» é o erro corrigido,
Não o erro perseguido, explorado,
É a verdade partilhada, praticada.

«Amigo» é a solidão derrotada!

«Amigo» é uma grande tarefa,
Um trabalho sem fim,
Um espaço útil, um tempo fértil,
«Amigo» vai ser, é já uma grande festa!

Autor : Alexandre O'Neill
in 'No Reino da Dinamarca'