sexta-feira, 31 de maio de 2019

O sonho

O sonho encheu a noite
Extravasou pro meu dia
Encheu minha vida
E é dele que eu vou viver
Porque sonho não morre.

Autor : Adélia Prado

quinta-feira, 30 de maio de 2019

Escrever


Escrever é esquecer. A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida. A música embala, as artes visuais animam, as artes vivas (como a dança e a arte de representar) entretêm. A primeira, porém, afasta-se da vida por fazer dela um sono; as segundas, contudo, não se afastam da vida - umas porque usam de fórmulas visíveis e portanto vitais, outras porque vivem da mesma vida humana. 

Não é o caso da literatura. Essa simula a vida. Um romance é uma história do que nunca foi e um drama é um romance dado sem narrativa. Um poema é a expressão de ideias ou de sentimentos em linguagem que ninguém emprega, pois que ninguém fala em verso.

Autor : Fernando Pessoa

quarta-feira, 29 de maio de 2019

Caminho encontrado

Joan Carol
Razão e loucura
Abismo de mãos
E gestos em fúria
Palavras
Silêncios
E corpos suspensos
Nas bocas a febre
Nos olhos delírio
Regresso de noite
Caminho encontrado.

Autor : Manuela Amaral

terça-feira, 28 de maio de 2019

Se eu escrevesse um poema sobre ti…


Diggie Vitt

 Se eu escrevesse um poema sobre ti…

…teria que convocar as madrugadas

em que acordámos abraçados,
de peles húmidas e orvalhadas,
em beijos (des)compassados
em que os silêncios eram palavras

Se eu escrevesse um poema sobre ti…

…agarraria nos sorrisos que me deste
e em tantos momentos apenas nossos,
nos abraços com que me preencheste,
e nos pensamentos mais devassos
que nos percorreram o norte, o sul, o leste

Se eu escrevesse um poema sobre ti…

…escreveria sobre o mar
e as nuvens que disputam o céu,
desse verbo que gostamos de conjugar,
dos nossos corpos nus, sem véu,
e que rima(m) com loucura, com paixão, com amar

Se eu escrevesse um poema sobre ti…

…desenharia um vulcão incandescente
um raio caído sem destino,
ou uma tarde calada e entorpecente,
um orgasmo inequívoco em puro desatino,
um amanhã sem letras, (in)consciente

Se eu escrevesse um poema sobre ti…

…invocaria os deuses desconhecidos
para cantarem em coro o nosso requiem
em celebração dos gestos decididos,
nas auroras, e nos ocasos também,
inscritos nos devaneios preteritamente iludidos

ai…se eu escrevesse um poema sobre ti…

Autor : António Barroso Cruz
In Poemas à Flor da Pele, 2013

domingo, 26 de maio de 2019

Em Maio

Richard Blunt.
.
 Em Maio de um ano que não esqueci,
atravessei de mão dada contigo,
aquele domingo.

Deste-me pouco, e eu nunca tinha recebido tanto
todo o meu corpo ressentiu-se,
e entrou em delírio.

Depois todos os domingos,
passaram a ser apenas domingos,
sempre iguais e silenciosos.
.
Autor :  BeatriceMar 25/05/2014 reeditado

sábado, 25 de maio de 2019

...

Richard Blunt

como é fugaz o tempo
no entanto se fez dia
e a noite foi com ela
beber a maresia

ela e a noite gémeas
rindo à beira da margem
com as lésbias carícias
alegram a viagem

pulam dançam estroinam
calam palavras visas
gazelas em ciovão
rodando a cerviz

acoitam-se na árvore
muito aconchegadinhas
lambem cheiram e cantam
histórias de modinhas

de repente fez dia
e sobre a erva erma
o cheiro a aloendro
misturado no esperma

sozinha sem parceira
foi-se a gazela embora
o gamo foi com ela
e ela agora chora

a moral da história
tire-a quem a quiser
seja gamo ou gazela
conforme lhe aprouver

autor: josé félix 2006.12.19

sexta-feira, 24 de maio de 2019

Desígnios

Stephen Carrol
"alguém pode me dizer
se estava prevista na palma da minha mão
esta paixão inesperada
se estava já escrita e demarcada
na linha da minha vida
se fazia já parte da estrada
e tinha que ser vivida

ou foi um desgoverno repentino
que surpreendeu os deuses, todos
os que desenham o nosso destino
ou foi um desatino, uma loucura
uma imprevisível subversão
que só a patir de agora eu trago marcada
na palma da minha mão"

Autor : Bruna Lombardi

quinta-feira, 23 de maio de 2019

Este vento

Brooke Shaden

Sem ti
sou apenas este vento
que investe contra
as árvores
e as desfolha longamente
muito antes do outono.

Autor : Gonçalo Salvado, in Vento/ Viento,
Antologia de Poesia Ibérica, Celya, 2004

quarta-feira, 22 de maio de 2019

..

Platon Yurich

Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final...

Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.

Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram...

Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida...

E lembra-te:

Tudo o que chega, chega sempre por alguma razão.

Autor : Gloria Hurtado

terça-feira, 21 de maio de 2019

.

Roberto Liang

A árvore abriu-te os braços e eu despi-te
o verde como se eu fosse a mão do outono
e dei-te o suco branco da inquietude
e amor como palavra fome.
Deixa que o verbo rebente
como tu dentro do eu língua de terra gramática de onda
nascemos da espuma de uma frase

Autor : Pedro Sena-Lino

domingo, 19 de maio de 2019

Demora a tua mão

Omar Ortiz.
Demora a tua mão em mim
Porque a mão é só a mão
E
Depois em mim terei o teu hálito
A tua língua
Com sabor às madrugadas
Plenas
E
Depois do grito em uníssono
E quando apenas o silencio existir
Em mim e em ti
Repousará o sorriso.
.
Autor :BeatriceM 15/05/2011 reeditado

sábado, 18 de maio de 2019

Condiçoes Atmosféricas


A noite permanece triste

no subúrbio.
Os animais humanizam os cartazes
de propaganda.
É de barro a passagem dos meses.
Pouco sabemos
do tempo vindouro.
As névoas
movimentam-se entre rochedos.

Tão indelicada
a chuva
fora de hora...

Autor : Fernando Paixao

sexta-feira, 17 de maio de 2019

...

Fábio Selvatici.
.
Estendo na cama o corpo que há-de ser
o porto a que esta noite vais chegar.
E entre névoas e ventos hei-de ver
o barco dos teus dedos ancorar
na margem mais secreta do desejo.
E há-de haver um mapa ali por perto
que te leve à enseada do meu beijo
e à fogueira de tudo o que está certo.
E na respiração da tua boca
bebo o grito da terra sempre pouca
para a noite em que ficarmos sós.
Mas o corpo descansa apaziguado:
sei que o sol já repousa do meu lado
e que o teu rio já chegou à foz.

Autor: Alice Vieira

quinta-feira, 16 de maio de 2019

Quando eu sonhava

Joan Carol.
.
Quando eu sonhava, era assim 
Que nos meus sonhos a via; 
E era assim que me fugia, 
Apenas eu despertava, 
Essa imagem fugidia 
Que nunca pude alcançar. 
Agora, que estou desperto, 
Agora a vejo fixar... 
Para quê? - Quando era vaga, 
Uma ideia, um pensamento, 
Um raio de estrela incerto 
No imenso firmamento, 
Uma quimera, um vão sonho, 
Eu sonhava - mas vivia: 
Prazer não sabia o que era, 
Mas dor, não na conhecia ... 

Almeida Garrett
 in 'Folhas Caídas'

quarta-feira, 15 de maio de 2019

"No fundo dos relógios"

"Demoro-me neste país indeciso
que ainda procura o amor
no fundo dos relógios,
que se abre
como se abrisse os poros solitários
para que neles caiam ossos, vidros, pão.
Demoro-me
no ventre desta cidade
que nenhum navio abandonou
porque lhe faltou a água para a partida,
como por vezes desaparece a estrada
que nos conduz aos lugares
e ali temos que ficar."

Autor : Filipa Leal
in - A Cidade Líquida e outras texturas_ 2006 (p. 22)

terça-feira, 14 de maio de 2019

Pedra de Sisifo II.


Agora medirei o tempo
Pela vara erguida ao meio-dia
Pela areia a descer o coração
E o sono

Pela cinza no cabelo de Jacob
Pelas agulhas no colo de Penélope

Agora lavarei a minha face
Sem perturbar os círculos da água
Medirei o tempo pelo peso da pedra
De Sísifo, perto do cimo
E pelo musgo que dificulta
A firmeza dos seus pés

Partirei sozinho na viagem
Sem nenhuma pedra ou senda repetida
E no tempo repetido acharei uma saída
Uma manhã depois de uma manhã

Autor : Daniel Faria
 Poesia

domingo, 12 de maio de 2019

Espera

Brooke Shaden
.
 Doí-me a ambiguidade,
do encontro que não marcamos,
e vai doer até ao momento da chegada.

BeatriceM 08/05/2014 (reeditado)

sábado, 11 de maio de 2019

...

Mikeila Borgia

O mar foi ontem 
o que o idioma pode ser hoje,
basta vencer alguns Adamastores.

Autor : Mia Couto

sexta-feira, 10 de maio de 2019

Lya Luft

Anya Anti

Lembro-me de ti
Nesse instante absoluto,
A vida conduzida por um fio de música.
Intenso e delicado, ele vai-nos fechando num casulo
Onde tudo será permitido.

Se é só isso que podemos ter,
Que seja forte. Que seja único.
Tão íntimo quanto ouvirmos a mesma melodia,
Tendo o mesmo - esplêndido - pensamento.

Autor: Lya Luft

quinta-feira, 9 de maio de 2019

Pausa


Hamish Blakely

Sentada, de costas para mim, olhas 
esse ponto em que todos os sonhos 
se concentram; e a serenidade envolve-te 
com o seu lençol efémero, para que 
não penses em mais nada. 

Autor : Nuno Júdice

quarta-feira, 8 de maio de 2019

Ressalva

Brooke Shaden.
.
Este livro foi escrito
por uma mulher
que no tarde da Vida
recria a poetiza sua própria
Vida.

Este livro
foi escrito por uma mulher
que fez a escalada da 
Montanha da Vida
removendo pedras
e plantando flores.

Este livro:
Versos... Não.
Poesia... Não.
Um modo diferente de contar velhas estórias.

Autor :Cora Coralina 
Os versos acima inauguram o livro Poemas dos Becos de Goiás e Estorias Mais, lançado pela primeira vez em 1965.

terça-feira, 7 de maio de 2019

O Livro Fechado

Quebrada a vara, fechei o livro
e não será por incúria ou descuido
que algumas páginas se reabram
e os mesmos fantasmas me visitem.
Fechei o livro, Senhor, fechei-o,

mas os mortos e a sua memória,
os vivos e sua presença podem mais
que o álcool de todos os esquecimentos.
Abjurado, recusei-o e cumpro,
na gangrena do corpo que me coube,

em lugar que lhe não compete,
o dia a dia de um destino tolerado.
Na raça de estranhos em que mudei,
é entre estranhos da mesma raça
que, dissimulado e obediente, o sofro.

Aventureiro, ou não, servidor apenas
de qualquer missão remota ao sol poente,
em amanuense me tornei do horizonte
severo e restrito que me não pertence,
lavrador vergado sobre solo alheio

onde não cai, nem vinga, desmobilizada,
a sombra elíptica do guerreiro.
Fechei o livro, calei todas as vozes,
contas de longe cobradas em nada.
Fale, somente, o silêncio que lhes sucede.

Autor : Rui Knopfli
in "O Corpo de Atena"

domingo, 5 de maio de 2019

pela janela

karen hollingsworth.
.
pela janela da sala vislumbro a paisagem à minha frente
e deleito-me com a visão sobre o mar,
que me alimenta como uma espécie de vitamina
estou novamente na minha zona de conforto.

E sonho com os olhos bem abertos sobre o mar.

Autor : BeatriceM 2019-05-04

sábado, 4 de maio de 2019

Só me resta agora

Só me resta agora 
Esta graça triste 
De te haver esperado 
Adormecer primeiro.

Ouço agora o rumor 
Das raízes da noite, 
Também o das formigas 
Imensas, numerosas, 
Que estão, todas, corroendo 
As rosas e as espigas.

Sou um ramo seco 
Onde duas palavras 
Gorjeiam. Mais nada. 
E sei que já não ouves 
Estas vãs palavras.

Um universo espesso 
Dói em mim com raízes 
De tristeza e alegria. 
Mas só lhe vejo a face 
Da noite e a do dia.

Não te dei o desgosto 
De ter partido antes. 
Não te gelei o lábio 
Com o frio do meu rosto.

O destino foi sábio: 
Entre a dor de quem parte 
E a maior — de quem fica — 
Deu-me a que, por mais longa, 
Eu não quisera dar-te.

Que me importa saber 
Se por trás das estrelas 
haverá outros mundos 
Ou se cada uma delas 
É uma luz ou um charco?

O universo, em arco, 
Cintila, alto e complexo. 
E em meio disso tudo 
E de todos os sóis, 
Diurnos, ou noturnos, 
Só uma coisa existe.

É esta graça triste 
De te haver esperado 
Adormecer primeiro.

É uma lápide negra 
Sobre a qual, dia e noite, 
Brilha uma chama verde

Autor : Cassiano Ricardo

sexta-feira, 3 de maio de 2019

deixarei

deixarei,
que encontres
tua paz
em outros braços
outros espaços
sem esquecer
que tua face
na madrugada
entre meus dedos
eu acolhi..

serei
teu barco
aportado
no cais
no silêncio
depois da ultima revoada..

terei apenas
a liberdade
de escolher.

deixar ficar
te ver surgir
e depois partir.

Se não és minha
eu não sou teu.
e sem tristeza
e nenhum lamento
podemos ser
apenas
adeus

nos teus sonhos
de amanhecer..

autor : joanna.franko
foto: Tullius Heuer ( cria manipulações digitais que parecem interagir com o mundo real.)

quinta-feira, 2 de maio de 2019

Tempo das Chuvas


katie eleanor.
.

Antes que venham as primeiras chuvas
                                                        acender

Amarelas flores entre os rochedos
E o céu se torne móvel de compridos pássaros
E todo o chão se cubra do verde novo
Do capim

Saberás pelo vento que chegaste ao fim.


Autor:José Eduardo Agualusa

quarta-feira, 1 de maio de 2019

Dia do Trabalhador


O trabalho é a melhor e a pior das coisas: a melhor, se for livre; a pior, se for escravo.

Autor : Émile-Auguste Chartier