segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

Feliz Ano de 2019



Desejo um  Feliz Ano Novo a todos os meus amigos e seguidores que ao longo do ano tiveram a gentileza de me visitarem e deixarem as suas amaveis palavras.
Bem hajam!



domingo, 30 de dezembro de 2018

..


Meus passos, caminham.  Nem sempre certos. Errantes, seguem trilhos tortuosos.  Deambulam ruas e vielas.  Noites e dias.  Estão cansados, muito cansados e sonham com um porto que não existe.  E um sorriso se afivela num rosto silencioso que esconde  dor, muita dor . Um dia ainda volto a trabalhar neste (no meu) País.

Meus passos caminham….

Autor : BeatriceM 2012-12-09

sábado, 29 de dezembro de 2018

Quem só pensa em si

Victor Bauer

Um dos principais motivos da violência é a pessoa dar mais atenção ao que se passa dentro dela, aos seus conflitos e pressões, do que àquilo que acontece fora. Só pensa nela, só vê o seu umbigo, e não mede com objectividade o que lhe é exterior. Não comunica, explode; não fala, desabafa e exige; não ouve, impõe e ataca. Quem só pensa em si, fica cego e culpa os outros. E descarrega neles a sua raiva sem qualquer medida ou respeito. 

Autor : (Padre) Vasco Pinto de Magalhães
in 'Não Há Soluções, Há Caminhos

sexta-feira, 28 de dezembro de 2018

a minha intimidade é pequena

Josephine Cardin


A minha intimidade é pequena
cabe na minha boca
e desliza por entre os dentes;

se a descubro a fingir que é saliva
engulo-a,
não quero vê-la alheia nas palavras
nem perdê-la com um beijo.

autor : ana merino
poesia espanhola, anos 90
trad. joaquim manuel magalhães
relógio d´água 2000

quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

Só o silêncio responde

Elena Vizerskaya Kassandra

Sigo os passos do vento
nas brisas suspiradas
e nos largos silêncios
que me olham em fogo lento
na ampulheta passante do tempo.

E na espuma da alma
choro em silêncio
o calor do teu nome.

Autor : António Carlos Santos,
in "50 Anos, 50 Poemas"

terça-feira, 25 de dezembro de 2018

FELIZ NATAL


e como é Natal venho por este meio desejar a todos os meus leitores e seguidores  que visitam este espaço um

Santo e Feliz  Natal de 2018
que a paz more em nossos coraçoes.

domingo, 23 de dezembro de 2018

se um dia

Elena Vizerskaya Kassandra

se um dia – alhures
olhasses para mim
num mar que não o meu – nem o teu
e para um passado - que eu queria presente
.
a minha natureza
seria uma serpente
com a língua em fogo
.
Autor: BeatriceM

sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

Falta de Ar


Há dias que posso passar sem sol, sem luz,
sem pão,
sem tudo enfim...

( Tenho até a impressão de que não preciso de nada...
... nem mesmo de mim...)
Mas há dias, amor... ( e parece mentira)
- nem eu sei explicar o porquê
de tão grande aflição -

em que não posso passar sem Você
um segundo que seja!
- de repente preciso encontrá-la, é preciso que a veja -

- Você é o ar com que respira
meu coração !

Autor : J. G. de Araújo Jorge

quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

.

igor morski

Aprendeu a empacotar o tempo

vendia em saquinhos de cinco minutos

quando morreu,
suas vendas contabilizavam milênios

Autor : Ana Peluso

terça-feira, 18 de dezembro de 2018

na ternura completa das mãos

Pascal Champion

voa comigo nos ombros da noite
enlaçados como dedos e dedos
na ternura completa das mãos.

inventemos asas até que nos
tenham como irmãos os pássaros
e as crianças nos persigam
pelo areal - o voo que é delas também.

acredita que o nosso olhar tocará um dia
o horizonte com tal força que a nossa palavra
ficará redonda, redonda como os ombros
desta noite em que te convido a descobrires
comigo o amor enorme que a maré nos tem

quando nos cobre os pés e nos obriga a nascer

Autor : - Vasco Gato

domingo, 16 de dezembro de 2018

Momentos

stephen carroll


Sento-me nas escarpas do vento
Nos medos – de mim
Abraço esta solidão do tamanho
De um mundo
Dum futuro incerto
Surda e muda
Afago uma nuvem
E a lágrima que se confunde
Nem a sinto
Olho e
Só esta chuva que cai e
Agita a praça
Me faz sentir que vivo
Ainda
Aqui
E agora.
.
Autor: BeatriceM 16-12-2012 (reeditado

sábado, 15 de dezembro de 2018

O Vento

igor morski
É fácil dizer que o vento
tem gatos na voz
enfurecidos.

Que afaga e despenteia,
traz a chuva.

Que levanta as telhas,
exercita na noite
os nossos mais pesados
pesadelos.

É fácil ser poeta
à custa do vento.

Fingir que não sabemos
que o vento não é senão
o vazio que muda de lugar.

Autor: A.M. Pires Cabral
in Arado, ed. Cotovia

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Alta Tensão

Jaroslaw Datta
eu gosto dos venenos mais lentos
dos cafés mais amargos
das bebidas mais fortes
e tenho
apetites vorazes
uns rapazes
que vejo
passar
eu sonho
os delírios mais soltos
e os gestos mais loucos
que há
e sinto
uns desejos vulgares
navegar por uns mares
de lá
você pode me empurrar pro precipício
não me importo com isso
eu adoro voar.
Autor:- Bruna Lombardi
In O perigo do Dragão. Rio de Janeiro: Record, 1984. p. 36

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Na lista dos teus fins venho no fim

Roberto Liang
Na lista dos teus fins venho no fim
de uma página nunca publicada,
e é justo que assim seja. Embora saiba
mexer palavras, e doer de frente,
e tenha esse talento conhecido
de acordar de manhã, dormir à noite,
e ser, o dia todo, como gente,
nunca curei, como previa, a lepra,
nem decifrei o delicado enigma
da letra morta que nos antecede.
Por muito te querer, talvez pudesses
dar-me um lugar qualquer mais adiante,
despir-te de pudor por um instante
e deixá-lo cobrir-me como um manto.


Autor: António Franco Alexandre
In Aracne

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

ama os teus sonhos

ashraful arefin

ama os teus sonhos
como o teu próximo

ou como os sonhos
do teu próximo

mas se o teu próximo
não tiver sonhos

convém mandar o teu próximo
para muito longe

donde não te possa
contaminar


Autor : Alice Vieira

In Olha-me como quem chove

terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Eco

Vagas são as promessas e ao longe,
muito longe, uma estrela.

Cruel foi sempre o seu fulgor:
sonâmbulas cidades, ruas íngremes,
passos que dei sem onde.

Era esse o meu reino, e era talvez essa
a voz da própria lua.
Aí ficou gravada a minha sede.
Aí deixei que o fogo me beijasse
pela primeira vez.

Agora tenho as mãos vazias,
regresso e sei que nada me pertence
— nenhum gesto do céu ou da terra.
Apenas o rumor de breves sombras
e um nome já incerto que por mágoa
não consigo esquecer.

Autor : Fernando Pinto do Amaral
In Poemas Escolhidos

domingo, 9 de dezembro de 2018

Detalhes



Bebo
O frio da tarde entranhado em mim, enquanto olho
O esvoaçar dos pássaros.

Vagueio, sobre a areia em andaimes de vento
Com trilhos dúbios e sem fins concretos
Ou genuínos.

Sorvo a vida apenas, e busco o abraço das nuvens
E a luz do luar, que não demora
No silêncio da tarde agonizante.

E agarro o meu sonho, estilhaços de cor e fantasia
Que ouso preservar como um tesouro
Só meu com fragmentos de sal e sol.



Autor : BeatriceM 2012-12-02 

sábado, 8 de dezembro de 2018

haicu

Pavel Mitkov

Amo-te mas não digas
a ninguém: o mar sabe
as estrelas também

Autor :Casimiro de Brito

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

Já escondi um Amor com medo de perdê-lo,



Já escondi um Amor com medo de perdê-lo,
já perdi um Amor por escondê-lo. ...

Já expulsei pessoas que amava de minha vida,
já me arrependi por isso.

Já acreditei em amores perfeitos,
já descobri que eles não existem.
Já amei pessoas que me decepcionaram,
já decepcionei pessoas que me amaram.

Já passei...horas na frente...

do espelho tentando descobrir quem sou,
já tive já tive tanta certeza de mim,
ao ponto de querer sumir...

Já fingi não dar importância às pessoas que amava,
para mais tarde chorar quieta em meu canto...
Já acreditei em pessoas que não valiam a pena,
já deixei de acreditar nas que realmente valiam...

Já senti muita falta de alguém,mas nunca lhe disse.
Já gritei quando deveria calar,
já calei quando deveria gritar...
Já sonhei demais, ao ponto de confundir com a realidade...

Já chamei pessoas próximas de "amigo"
e descobri que não eram...
Algumas pessoas nunca precisei chamar de nada
e sempre foram e serão especiais para mim.

Autor : Clarice Lispector

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

recado aos corvos

igor morski
Levai tudo:
o brilho fácil das pratas,
o acre toque das sedas.

Deixai só a incombustível
memória das labaredas.
o brilho fácil das pratas,
o acre toque das sedas.



Autor : A.M.Pires Cabral

domingo, 2 de dezembro de 2018

As noites

omar ortiz

São tão grandes as noites – na casa
É tão imenso o silêncio - consentido
Em forma de abismos

E nas mãos
Apenas repousa o nada
Entrelaçados nos pés
.
Autor : BeatriceM

sábado, 1 de dezembro de 2018

Hino




Tenho lutado todos os dias pra ser uma mulher
no entanto onde nasci os homens têm sempre razão
e eu que não me interesso pela razão mas por outros sentimentos
teço silenciosamente à porta da minha casa
junto às outras mulheres da minha rua
a trama dos nossos instintos
e minha rua passa por outras cidades
atravessa países
não há fronteiras
tecemos todas nós o mesmo fio
matéria viva da nossa bandeira


Autor : Bruna Lombardi