terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Abraça-me


Meu verso…
O universo…
Constrói-se no laço
desse teu abraço!

Leve se torna o traço…
Escasso fica o espaço…
E a estrofe onde fico imerso
é poema solto e disperso!


Abraça-me com intensidade!
Quero sentir a infinidade
que habita o ser!


Abraça-me com profundidade!
E meu ser voará em liberdade
nas letras que escrever!


Autor : João Bettencourt

2 comentários:

vendedor de ilusão disse...

Gostei muito do teu blog, tanto que por aqui fui ficando para outras vezes voltar...
Abraço e apareças!

heretico disse...

muito bom. gostei de verdade.

beijo