terça-feira, 1 de maio de 2018

Amigo


Mal nos conhecemos
Inaugurámos a palavra «amigo».

«Amigo» é um sorriso
De boca em boca,
Um olhar bem limpo,
Uma casa, mesmo modesta, que se oferece,
Um coração pronto a pulsar
Na nossa mão!

«Amigo» (recordam-se, vocês aí,
Escrupulosos detritos?)
«Amigo» é o contrário de inimigo!

«Amigo» é o erro corrigido,
Não o erro perseguido, explorado,
É a verdade partilhada, praticada.

«Amigo» é a solidão derrotada!

«Amigo» é uma grande tarefa,
Um trabalho sem fim,
Um espaço útil, um tempo fértil,
«Amigo» vai ser, é já uma grande festa!

Autor : Alexandre O'Neill
in 'No Reino da Dinamarca'

2 comentários:

Gil António disse...

Bom dia. Existem MUITOS amigos, mas tão poucos AMIGOS.
Gostei muito do poema

* . Cigarro que mata ...na forma consciente *
.
Deixando um abraço

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e Outras disse...

Ah Bea, ter um amigo
É oportuno e faz bem
A quem um amigo tem
E a quem o tenha consigo.

A amizade é um artigo
De luxo apenas a quem
É egoísta e o convém
Viver sem rumo em perigo.

Amigo é a forma de amor
Mais pura sem haver pudor
Em querer bem a alguém

Que corresponda em valor
À amizade que o for
Dada par si também.

Grande abraço. Laerte.