domingo, 7 de janeiro de 2018

É hora da partida



É hora da partida – esperada
A roupa cobre o meu corpo 
Agora só meu
E deixo desordenados 
Aromas impregnados no teu 

Descansas num mar revolto
De sentires 
De desejos consumados
E de olhos fechados – dormes
Sonhando prazeres partilhados

Já não estou mais ardendo
No lume que nos queimou
No ocaso que chegou
No eco que se desfez
Na hora da partida que se anunciou

E vou pela calada
Dançando em passos ligeiros
Ainda com vestígios de beijos e mel
E das carícias que ficam 
A flutuar em parcelas de saudade.
.
Autor : BeatriceM 22-01-2012 (reeditado)
Foto: Laura Makabresku

3 comentários:

Larissa Santos disse...

Riqueza de poema. Lindo demais.

Deslaço memórias, d'amor ausente.
.
Bjos
Bom Domingo

LuísM Castanheira disse...

Gostei muito deste seu reeditado poema, minha amiga.
Uma partida com regresso 'anunciado'
e dos corpos em memórias suspensos, a interceptação das horas, na espera..(quero acreditar assim...)
Um beijo, Beatrice, e um Ano Pleno.

Gil António disse...

Deliciando-me com o seu lindíssimo poema.
.
* Teu Sorriso ... Minha Doce Inspiração *
.
Deixando cumprimentos
Bom dia