domingo, 17 de julho de 2011

onde a luz se ateia




Desde as últimas pétalas
que não te via neste mar


tão breve
solidária
pelo tempo fora

Reconheci-te peregrina
pelo ressoar das águas

Trazias referências inscritas
nas asas
uma espécie de destino
memórias incumpridas
sem palavras nem repouso
à descoberta de uma pausa
na fissura das escarpas

Gostei de te ver
no cimo dos meus olhos

onde a luz se ateia.


.
Autor :http://mararavel.blogspot.com/

3 comentários:

heretico disse...

que a luz e o fogo se ateiem.
beijo

Mar Arável disse...

na verdade

por vezes a luz se ateia

N. Barcelli disse...

Bela escolha.
Beijo, querida amiga.