domingo, 31 de julho de 2011

Caminho pelo lado da rebentação



Caminho pelo lado da rebentação das ondas ―
o litoral guarda segredo dos meus passos entre
as redes de sal trazidas pelos barcos
e o labirinto das algas ainda agora oferecidas

à praia. Sinto-me à mercê das falésias a riscar
o teu nome na areia; e é como se lentamente
pronunciasse um chamamento triste a que ninguém
acode. Fez-se tarde para os lamentos das sereias:

agora as marés dobam novelos de espuma à roda
dos meus pés, as águas já não transportam
a minha voz, a perder-se sobre as dunas
que os ventos vão desbastando devagar
ao cair da noite. Tenho sempre medo que não voltes.

Autor :Maria do Rosário Pedreira
 Foto:meyy

2 comentários:

heretico disse...

há mar e mar... sempre!
belo poema.

beijos

Z disse...

Também sou deste mar,da zona branca da rebentaçao.
z.