segunda-feira, 25 de outubro de 2010

poesia do meu corpo


Retiro do teu corpo
o meu corpo
gasto de tanto amar.
O meu corpo cego
e desarrumado
de que junto os pedaços
espalhados em ti.
Corpo em reconstrução
deitado à sombra do teu olhar.
.
Autor : António Barroso Cruz
Foto: alrune

2 comentários:

Mar Arável disse...

só os cavalos de vento

percorrem caminhos alados

mar adentro

heretico disse...

gosto dessa imagem - corpo derramado. em outro corpo...

beijo