quinta-feira, 21 de agosto de 2008

mergulho

na hora esquiva
das águas apurando
dias em ilhas alheias
ao sal me conservo
dentro dos ossos
experimentando
o nascimento de asas
translúcidas
e vôo
pássaro
o bico aponta
meu peito
e ronda meu corpo
mergulhado
em acasos
de sargaços e peixes
diáfanos
e eu
raramente em mim
concha adversa
me fecho
nessa mudez que pesca o verso
.
Autor: Pavitra
Foto:Agnieska Motyka

1 comentário:

Pavitra disse...

oi, beatrice!

obrigada pela escolha, pela surpresa e pelo lugar que vc me deixou ocupar no seu canto! :)

já visitei algumas pessoas que vc trouxe para cá...

e, aproveitando, digo que as fotos, assim como os textos, são maravilhosas... desde que descobri seu blog, venho sempre...

obrigada de novo!

beijos!