sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Partir

Não sei
se te deixei partir

Mas num segundo
já não estás na minha mão
nem à minha frente no papel

Ficando eu sem saber
quem eras
quando te encontrei

Se o retrato que de ti
tracei te é fiel

Ou se de tanto te inventar
eu te perdi, por entre
as florestas das histórias

Penumbras dos palácios
Pensamentos, poesias e diários
Oceanos e ventos

Pois nem sequer
percebo se por mim
te afastei ou te larguei

Se obstinada fugiste
ou te esqueci
Se a Torre onde te pus é de Babel

E dela partirás
para viver a única
paixão da tua vida

Não, nem sequer sei
qual foi o meu olhar
pousado em ti

Se com ele te espiei
te persegui
E no espelho onde te vias

Eu te olhei

Autor : Maria Teresa Horta

in Poemas para Leonor, Dom Quixote, 2012, p. 138-9

3 comentários:

Gil António disse...

Passando, vendo, lendo, gostando muito, anunciando:
.
Tema: *Geladas gotas na dor da separação*
.
E desejando:
.
Que o Ano Novo de 2018, entre na sua vida através da porta do coração, trazendo: Saúde, Fraternidade, Paz, Amor, Felicidade, gosto pela Partilha.
FELIZ ANO NOVO

Mar Arável disse...

Boa memória da incomensurável Teresa Horta

Majo Dutra disse...

~~~
UM BOM ANO DE 2018.

BEIJO
~~~