sexta-feira, 1 de maio de 2015

O vermelho e o trigo




No fundo da terra há sempre
Um húmus insuspeito, uma semente, uma promessa...

Talvez um parto...

Talvez um grito,
Ou uma dor por abrir...

Talvez uma tensão na hora de soltar-se...

Há sempre na noite
Um dia imprevisível, uma esperança calada...

Há sempre uma morte que se faz vida...

Há sempre o vermelho e o trigo...

Sabe-se lá quando pode explodir uma flor...

Autor : heretico
In : http://relogiodependulo.blogspot.pt/

2 comentários:

Majo disse...

~
~~ Simplesmente, e s p l e n d o r o s o ! ~~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Beatrice Mar disse...

Majo

agradeço reconhecida a sua análise aos trabalhos que aqui publico, que são as minhas escolhas do que acho melhor em poesia, prosa e imagens que costumo escolher para acompanhar os trabalhos.

_Grata!

:)