domingo, 16 de outubro de 2011

Fulva aberta



Como pequena
Sarda (in)discreta...

.
Ou como sulco
Do seio
Na meta...

Ou como boca
Na ponta
Do sexo adverso...


Ou como língua
De fogo
Em fornalha...



Ou como ferida
Na saliva
Tonta...


Ou como coxas
Secretas
Libertas...


Ou como arados
De beijos dos dedos
Nas costas voltadas...


Ou como cristal
Em flor colhido
Rendido...


Ou como vulcão
Ardente ardido
Sem til sem medo...



Vulcânica te quero!
.
Autor Senador
Foto :Jowitaa
  •  

4 comentários:

mfc disse...

Gosto desta sensação de liberdade... e de querer!

mixtu disse...

com fogo...
tal como o amor...
libertando sentires

abrazo serrano

Mar Arável disse...

Resistir
é preciso

alguém tem de partilhar
os belos relâmpagos

heretico disse...

gosto de palvras assim. sem til.
nem disfarce...

beijos