sábado, 4 de dezembro de 2010

A voz


Da tua voz
o corpo
o tempo já vencido

os dedos que me
vogam
nos cabelos

e os lábios que me
roçam pela boca
nesta mansa tontura
em nunca tê-los...

Meu amor
que quartos na memória
não ocupamos nós
se não partimos...

Mas porque assim te invento
e já te troco as horas
vou passando dos teus braços
que não sei
para o vácuo em que me deixas
se demoras
nesta mansa certeza que não vens

Autor:Maria Teresa Horta
Foto:Petrus olhares com

2 comentários:

Multiolhares disse...

existem sonhos sonhados e outros que podem ser reais
Bjs

heretico disse...

"porque assim te invento
e já te troco as horas
vou passando dos teus braços
que não sei..."

... a eterna espera de Penélope!

beijo