sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

Vatícinio


Loui Jover

Hás-de beber as lágrimas sombrias
que nesta hora eu bebo soluçando!,
e o veneno das minhas ironias
há-de rasgar-te os tímpanos cantando!

Hás-de esgotar a taça de agonias
neste sabor a ódio... e, estertorando
hás-de crispar as tuas mãos vazias
de amor, como eu agora estou crispando!

E hás-de encontrar-me em teu surpreso olhar
com o mesmo sorriso singular
que a minha boca em certas horas tem.

E eu hei-de ver o teu olhar incerto
vagueando no intérmino deserto
dos teus braços tombados sem ninguém!

Autor : Judith Teixeira
in 'Antologia Poética'

2 comentários:

Reflexos Espelhando Espalhando Amig disse...

Bravíssimo!
Linda publicação.
Bjins
CatiahoAlc.

Gil António disse...

. Sedutor e maravilhoso. Inspiração poética divina
.
Bom fim de semana

*** Bicudos punhais ... em chagas de solidão * **