domingo, 17 de janeiro de 2016

no meu silêncio

Oleg Oprisco

No meu silêncio, muita vezes
julgo ouvir as palavras que dizias,
quando juntos deambulávamos,
pelas ruas da cidade.

São apenas palavras que retive, e sabes
sinto sempre saudades da tua voz
e as ruas, já não me falam dos sonhos
nem dos ecos, são agora ruas, apenas ruas.

BeatriceMar

2 comentários:

heretico disse...

o que prova que nem todas as palavras (de amor) estão gastas!...

belo poema.

beijo

Majo disse...

~~~
Fiquem as boas lembranças...

~ As saudades desaparecem
quando se encontra alguém superior...

~~~ Beijinho. ~~~