quinta-feira, 11 de junho de 2015

Poesia

fabrizia milia

A paixão é a moral da poesia: arrisquem a cabeça se querem entender; arrisquem o corpo, a sua medida, se pretendem descobrir o centro do corpo; e sim, arrisquem sobretudo o nome pessoal para ouvirem o nome de baptismo como o coroado nome da terra.

Autor - Herberto Helder
Jornal Público, 4 Dezembro 1990

2 comentários:

Mar Arável disse...

Há luz que renasce do chão

heretico disse...

dou-te o nome - dou-te tudo!

beijo