domingo, 15 de janeiro de 2012

Os Versos



Os versos assemelham-se a um corpo
quando cai
ao tentar de escuridão em escuridão
a sua sorte

nenhum poder ordena
em papel de prata essa dança inquieta
.


Autor :José Tolentino Mendonça
Foto:fotoalterego

4 comentários:

mfc disse...

Mas esta ordenação está perfeita... e linda!
A imagem foi muito bem escolhida.

heretico disse...

a pulsão poética... pulsão do Desejo!...

beijos

Nilson Barcelli disse...

Gerir um poema na sua feitura é quase como coordenar o caos.
Umas vezes consegue-se, outras não...

Não conhecia este poema.
A imagem que o autor faz dos versos é notável.

Beijos, querida amiga.

mixtu disse...

os versos
encantam
os versos
dão vida
e vivem

abrazo serrano