domingo, 27 de fevereiro de 2011

A tua voz

Segurar a tua voz
É comer
Frutos silvestres
Acerejados de mel
Espalhados no teu corpo
Adormecer com a tua voz
É fundir
A nossa pele
No olhar que arremessas
A cada onda de prazer
Acordar com a tua voz
É a certeza
A desnudar
A criança de incertezas
No teu fogo de mulher
.
Autor:Nilson Barcelli http://nimbypolis.blogspot.com/

2 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Já não me lembrava de ter feito este poema. Foi há séculos...
Obrigado pela destaque.
Beijos, querida amiga.

heretico disse...

excelente a arte poética do Nilson-que leio sempre com prazer.

beijo