sábado, 30 de outubro de 2010

Vi-te


Vi-te agora com estes olhos que nunca te tinham visto assim
Vi os teus olhos como nunca antes tinham sido vistos, não pude evitar afogar-me neles
Perder os sentidos em ti, mergulhar, cair dentro de ti.
Vejo-te como ninguém te pode ver.
Estás nua por dentro e por fora.
Despida de tudo entregue a este agora por mim criado, por mim terminado.
Estás pálida e frágil consumida pela verdade inabalável a que os meus olhos te submetem.
Não julgo. Olho apenas e és mais minha que nunca.
.
Autor:Pedro Barreiros
Foto: LeszeK

Sem comentários: