quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Esquece-te de mim.Amor

Jantina Peperkamp

Esquece-te de mim, Amor
das delícias que vivemos
na penumbra daquela casa.
Esquece-te.
Faz por esquecer
o momento em que chegámos,
assim como eu esqueço
que partiste,
mal chegámos,
para te esqueceres de mim,
esquecido já
de alguma vez termos chegado.
.
Autor : António Mega Ferreira
in Os Princípios do Fim- Poemas (1972 – 1992),

2 comentários:

Pintor de Palavras disse...

e porque as memórias são vivas, nunca há partidas!

heretico disse...

há partidas que se perdoam...
mas não se esquecem...

beijo