domingo, 6 de setembro de 2015

Perdi o tempo



...perdi o tempo, com ele todos os rascunhos. E as agendas já não fazem sentido nenhum. Eu sei que é um jeito meu. Um olhar além de mim e do meu horizonte. Mas eu sempre gostei de olhar além e talvez hoje o além de mim é apenas a finitude de tudo ou de alguma coisa que apenas eu vislumbrei. Não teve continuação!

Embrulho-me nas neblinas dos dias e das tardes, e alvoreço com uma angústia que o estado nem traduz. Intraduzível. Apenas isso. Não fujo de mim apenas o meu eu se foge para horizontes fortuitos e cobertos de névoas e fragrâncias indisfarçados de medos e amotinação. Mas ao mesmo tempo mansa. Não terá repercussões. Pesa-me este corpo sobre estes passos incertos. Titubeantes. Pesa-me a injustiça neste mundo, onde só os fortes é que sobrevivem. Pesa-me esta lágrima que se queria uma pérola de alguma ostra perdida nas rochas…

.

Beatrice Mar 2013-07-13

(reeditada, porque faz todo o sentido)



3 comentários:

heretico disse...

belíssima lágrima - de cristal.

beijo

Mar Arável disse...

Imagem e texto

um belo desafio
ao tempo que faz

Bj

Majo disse...

~~~
~ Até as índoles delicadas
escondem forças espantosas,
~~ quando postas à prova...

~~~ Agarre o tempo!
~~~ Força, Beatrice!

~ Grande abraço amigo. ~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~