sábado, 3 de novembro de 2012

doem-me



doem-me, talvez os olhos, (ossos do sentir?)

talvez o mar que perdeu as gaivotas no marulhar dos sentidos...

doi-me este teatro de sombras, que me envolve na ensónia das noites que se fingem ausentes do espelho que se estilhaça no sal das lágrimas,
e no entanto vou,
todas as manhas para o lugar dos passos que me desenham o futuro...

.

Autor : Almaro


2 comentários:

Ana Mestre disse...

Perfeito:
talvez o mar que perdeu as gaivotas no marulhar dos sentidos...

Bom fim de semana

Mar Arável disse...

Até nos espelhos da água

se movem os pássaros

ao espelho