domingo, 18 de março de 2012

Falesias


Poder-me-ão encontrar, trago um rapaz na minha
memória, a casa a uma janela
da qual o faço vir como um sabor à boca,
falésias onde o aguardo à hora do crepúsculo.

Regresso assim ao mar de que não posso
falar sem recorrer ao fogo e as tempestades
ao longe multiplicam-nos os passos.
Onde eu não sonhe a solidão fá-lo por mim.
.
Autor : Luís Miguel Nava
Foto : The Professor


4 comentários:

mfc disse...

O elemento mar e um regresso que é um chamamento permanente!
Beijos,

heretico disse...

há quem se limite a trazer apenas uma fisga - na algibeira...

beijo

A.S. disse...

À hora do crepúsculo todas as sensações são mais intensas, o fogo mais ardente, o mar mais agitado...

Beijos,
AL

Mel disse...

Imenso.Bem ao estilo que gosto de ler...

Bela escolha.

Beijinho.