domingo, 22 de fevereiro de 2009

REPOUSO

(tuas asas silentes levemente pousam
sobre meus olhos
e encobrem meus medos)
.
lá fora é a rua;
há um grito de cal
estridente como uma buzina
e cabeças passam
esfaqueadas pelo sol
.
aqui - tuas asas
enormes e vaporosas
apaziguam o clima...
.
há uma guerra lá fora;
o nosso amor contra a guerra?
- sangue jovem de pé
pelo nosso amor
.
ah, tuas asas tranquilas me protegem;

Autor:Joao de Melo
Foto:woytass

1 comentário:

Adriana disse...

"tuas asas tranquilas"...que linda essa i,agem.Gostei muito do poema.Obrigada pela visita em meu blog, te visitarei sempre.